Arquivos de categoria: Comemorações

18º Aniversário da Casa do Educador

Categoria :Comemorações

          Caras associadas/caros associados

Iniciou-se oficialmente há 18 anos a caminhada que nos irá levar longe e que tem no momento presente um porto de passagem.

De facto, no dia 28 de Outubro de 2002, em cartório notarial, foi constituída a Casa do Educador do Concelho do Seixal, após algum tempo de preparação e de elaboração.

Pretendeu, o Grupo Pró-Associação, dar resposta a um problema que, imagine-se, na altura já se considerava premente e que era o da resposta social ao envelhecimento da população, mais especificamente dos profissionais da educação. A intenção era a de ser construída uma estrutura que respondesse às naturais necessidades do período da vida em que os associados da futura Casa do Educador pudessem usufruir de uma situação de aposentação condigna e apoiada.

Como é sabido, o objectivo inicial, passados estes dezoito anos, ainda não foi atingido, pois a Residência imaginada não está ao dispor dos sócios da CES; mas outros foram sendo criados, procurando-se que a Casa do Educador desse resposta a outras necessidades da população local. É o caso da CESVIVER e da UNISSEIXAL, que, tentando satisfazer os habitantes do concelho, têm realizado um trabalho exemplar e de inequívoca utilidade na nossa região.

É nessa actividade que se inserem os trabalhos em curso para a construção das novas instalações da Universidade Sénior, que esperamos estarem ao nosso dispor em Setembro de 2021. De facto, é um salto qualitativo importante aquele que será dado a partir desse momento, pois, com salas novas e mais espaçosas, um maior número de aposentados do concelho poderá usufruir dos serviços colocados à sua disposição por esta valência da Casa do Educador.

Naturalmente que não podemos deixar de referir o momento presente, que tem levantado problemas logísticos e financeiros inesperados para a prossecução dos objectivos gerais da CES e particulares da CESVIVER e da UNISSEIXAL. De facto, e quando no ano transacto se tinha ultrapassado os 800 alunos na Unisseixal, actualmente temos cerca de 270, o que é um número inimaginável, considerando a marcha que parecia imparável que a nossa Universidade tem tido ao longo dos últimos anos.

Todavia, e como referíamos no início, estamos apenas num porto de passagem.

A Casa do Educador do Concelho do Seixal tem os sócios e os dirigentes que permitirão que o momento presente seja um parêntesis na caminhada que iremos prosseguir. Outros aniversários irão ser comemorados. Com mais pompa e alegria, naturalmente.

PARABÉNS À CASA DO EDUCADOR! FELICIDADES PARA OS SEUS ASSOCIADOS!

O Presidente: Jaime Ribeiro



XII Aniversário da Cesviver

Categoria :Comemorações

Doze anos se passaram desde que o Projeto Cesviver foi aprovado em Assembleia Geral da Casa do Educador do Concelho do Seixal, mais precisamente no dia 19 de junho de 2008.

Este ano tudo foi diferente!

Terminámos as atividades em março e ainda não nos foi possível regressar devido à difícil situação de Pandemia que o país está a atravessar; deixando suspenso tudo o que se tinha planeado para festejar o seu 12º aniversário. Assim sendo vamos assinalar esta data virtualmente.

Continua-se a viver o sentimento de afeto e gratidão entre cada um de nós e para com todos os que se têm dedicado a este Projeto da CES.

Quanto ao percurso deste ano escolar não tenho muitas novidades para apresentar pois semanalmente eram dadas notícias sobre tudo o que foi realizado, mas ainda assim irei apresentar uma breve retrospetiva. As atividades foram organizadas tendo por base o Plano Anual e a Grelha Trimestral de acordo com os temas ou atividades a serem realizados. Passarei a referir só as que foram cumpridas até 10 de março 2020:

Abertura das Atividades - Ano escolar 2019/2020

Psicologia - “Conversas com o Psicólogo”

Chi Terapia:

  • Prática de exercícios de Tai Chi e Chi Kung
  • Exercícios como ferramentas para o equilíbrio físico e emocional.

Aniversários – Comemoração mensal/anual

Projeto «Um livro, uma companhia» - Apoiado pela C.M.S.

  • Neorrealismo:

1 - Fundamentos desta corrente estética;

2 - Obras literárias e escritores neorrealistas:

  1. a) Celebrar o centenário do nascimento de Fernando Namora;
  2. b) O universo literário de Alves Redol.
  • Escritores do século XX:

1 - Recordar Sophia de Mello Breyner Andresen no centenário do seu nascimento; 2 - Celebrar o centenário do nascimento de Jorge de Sena;

3 – O Universo poético de Nuno Júdice.

  • Visita de estudo ao Museu do Neo-Realismo («E não sei se o mundo nasceu», exposição de homenagem ao centenário de Fernando Namora) e (Raízes de uma Coleção: Alves Redol e (seus) ilustradores).

Artes Plásticas

  • Arte Moderna: - Movimento neorrealista; Neorrealismo na pintura.
  • Arte Contemporânea: - Principais tendências; Street Art ou Arte Urbana: Definição/conceito; Três prestigiados artistas portugueses.

Outras temáticas:

  • Comemoração do mês das Pessoas Idosas:
  1. a) Reflexão sobre o tema
  2. b) Tomada de conhecimento da Campanha Mundial “Doces Sentimentos Positivos” - C.M.S.
  • Saúde e bem-estar: “Saúde Mental – Como prevenir: Caminhos / Veredas a percorrer”.
  • Temas de Direito – Justiça e Direito.
  • “Estórias da nossa história” - A vida e obra de D. Amélia de Orleães.
  • Breve alusão à “Vida e Obra de Soror Mariana Alcoforado”.
  • Vivenciar o Natal:
  1. a) Canções e atividades;
  2. b) Participação na Festa conjunta de Natal – CES, Unisseixal, Cesviver.
  • Música:
  1. a) Atuação do grupo Três Mais Um;
  2. b) Atuação da turma de cavaquinhos e bandolins da Unisseixal;
  3. c) Atuação do Grupo Coral e Instrumental 5 de Janeiro da AURPIA.
  • Atividades lúdicas – Jogos de destreza, movimento, atenção e socialização.
  • Saúde auditiva – Iniciação à Linguagem Gestual (LGP).

Como podem verificar, foram muitas as atividades realizadas e de áreas bem diversificadas. Para além destas, outras foram planeadas, mas não realizadas; no entanto deixo aqui o meu agradecimento às pessoas convidadas reconhecendo a sua disponibilidade para cooperarem com a Cesviver, e espero poder contar com as suas colaborações no próximo ano. Bem-haja!

Não posso deixar de referir quem, durante este afastamento físico, continuou a proporcionar formas de minimizar a solidão, acompanhando os utentes da Cesviver, o professor António Santos e a psicóloga estagiária da CES Dr.ª Fiona Sofia, por vídeo chamada ou por contacto telefónico e à professora Luísa Bernardo que continuou a divulgar as notícias no Site e Facebook, um sincero agradecimento.

Houve um grande envolvimento das autarquias, de muitas(os) amigas(os), dos órgãos sociais da CES, Unisseixal e da Cesviver, bem como das funcionárias da CES que de diferentes maneiras deram do seu tempo facultando momentos de formação, informação, partilha, são convívio ou apoio sempre em regime de voluntariado. Mas, nada se realizaria nem se atingiria os fins a que se destina, sem as pessoas mais importantes deste projeto, os utentes e aderentes.

No 10ºAniversário a professora Antonieta Henriques, fundadora e defensora deste projeto, tendo ocupado o cargo de Diretora Executiva até 2011, deu-nos a conhecer:

- Como nasceu a Cesviver;

- Como se desenvolveu;

- Que impacto visível teve na comunidade da Amora;

- O que pensamos e o que vemos neste “Projecto”

Este acontecimento pode ser consultado no Site da Cesviver

Para a data de hoje foi pedido, conforme planeado, à professora Maria Judite Bentes, segunda Diretora Executiva da Cesviver, entre 2012/2014, para nos relatar como foi a sua orientação neste projeto e que poderão ler mais à frente.

À Câmara Municipal do Seixal, na pessoa da Sr.ª Vereadora da Ação Social Dr.ª Manuela Calado, à Técnica Superior Dr.ª Soraia Issufo e restante equipa de trabalho; à Junta de Freguesia de Amora, na pessoa do Sr. Presidente Manuel Araújo e Sr.ª Dr.ª Helena Quinta; ao Sr. Presidente da CES professor Jaime Ribeiro; aos meus convidados que orientaram as sessões de terça-feira; aos três voluntários que semanalmente prestam apoio; a todas e todos que de algum modo estiveram sempre presentes na vida deste “grande” Projeto, o meu mais sincero agradecimento pois sem vós teria sido impossível esta caminhada.

Antes de terminar deixo-vos com o relato da professora Maria Judite Bentes e um poema, da autoria do professor João Bentes dedicado ao 12º Aniversário da Cesviver e enquadrado na atual situação que estamos a viver.

Rosa M. Duarte 

19/06/2020

Relato da Professora Maria Judite Bentes

Iniciei a minha passagem pela Cesviver, como Directora Executiva, no ano de 2012 e terminei o meu mandato, em 2014.

Foi uma experiência bastante enriquecedora, sobretudo a nível social, com toda a carga solidária que o cargo exigia.

Comecei por dar continuidade, ao excelente trabalho que vinha sendo desenvolvido pela minha antecessora, Profª Antonieta Henriques.

Entretanto, pus em prática algumas ideias que me foram surgindo e que considerei serem úteis, para todos.

Foi introduzida a aplicação do FB, para uma melhor comunicação entre todos. Iniciou-se também a elaboração de um documento intitulado “Cesviver Informação”, que dava conta das actividades levadas a cabo cada terça-feira.

No capítulo, «Um livro, uma Companhia», foram estudados e visitados os locais de nascimento ou de vida dos vários autores, (Florbela Espanca, Eugénio de Andrade, António Aleixo e Bocage), em justa homenagem a cada um.

Além destas visitas, outros locais foram visitados por nós tais como:

  1. O Fundão na altura das cerejas onde no momento foi falada a Cesviver, que por coincidência, teve reportagem na RTP;
  2. O Fluviário de Mora;
  3. Palácios; Monumentos (Cristo Rei); etc., com a colaboração da Câmara Municipal do Seixal e da Junta de Freguesia da Amora, que sempre se mostraram disponíveis para estas e outras ajudas, as quais muito temos a agradecer.

Foram convidadas figuras ligadas à Cultura, à Saúde, à Justiça, ao Entretenimento, à Religião, ao Ambiente, à Psicologia, à História, Música, etc.

Organizei exposições de fim de ano com trabalhos das utentes da Cesviver entre os quais, “Uma História de Vida” - onde cada utente descreveu passagens da sua vida, causadoras de sentidas emoções, pela sua crueza umas e vitórias outras; festas de Natal, Magustos, Carnaval; arraial dos Santos Populares e outras mais.

Terminei o mandato, ficando grata a tanta gente!

Às senhoras utentes da Cesviver, de quem guardo o maior carinho e pelas quais criei uma verdadeira amizade.

Às colegas e a todos quantos acederam aos meus pedidos de ajuda e colaboraram tão prontamente, o meu agradecimento sincero e verdadeiro.

À equipa da Unisseixal, pela presença sempre pronta e desinteressada.

Às funcionárias da Casa do Educador, pela prontidão com que sempre atenderam os meus pedidos.

Ao meu querido Presidente, professor Tomás Bento, a bondade em pessoa, que muito incomodado foi, mas que sempre me ajudou com um sorriso nos lábios e bondade excepcional.

A todos o meu bem-haja.

Maria Judite Bentes

04/06/2020

Parabéns CESVIVER


XI Aniversário da CESViver

Categoria :Comemorações

11º Aniversário da CESViver

Mês após mês, semana após semana, a CESVIVER – projecto de solidariedade da Casa do Educador do Seixal – chegou ao dia do aniversário.
E que rica festa nos proporcionou a Directora Executiva da CESVIVER, a nossa querida amiga Profª. Rosa Maria Duarte!
Todos os momentos deste XI Aniversário foram pensados ao pormenor.
Tudo selecionado com grande cuidado e carinho para que todos – convidados e utentes deste nobre projecto – se sentissem felizes, orgulhosos e amados por pertencerem a este “grupo especial” da Casa do Educador.
Muitos parabéns à Professora ROSA MARIA DUARTE e à sua equipa que fazem da CESVIVER um projecto solidário de Afectos e para o Afecto, propiciando-nos uma tarde inesquecível!
Muitos parabéns às Senhoras Utentes que brilharam de forma muito especial, no decurso da Festa, não só pelos momentos de animação festiva com que nos brindaram, como pela diversidade e qualidade dos belos trabalhos que confeccionaram ao longo do ano e, agora, expostos na Galeria da CES.
Do Programa Festivo, oferecido a cada participante num belíssimo “vaso de flores”, constavam vários momentos.
A Festa terminou com um Moscatel de Honra, seguido do bolo da Aniversário, festejado com champanhe.
As fotos que se seguem são bem expressivas desta tarde maravilhosa vivida entre grande Amigos.
VIVA a CESVIVER!
Mª Lourdes Mano Reis

XI Aniversário da CESViver


X Aniversário DA CESVIVER

Categoria :Comemorações

10 ANOS DE CESVIVER

  • COMO NASCEU A CESVIVER
  • COMO SE DESENVOLVEU
  • QUE IMPACTO VISÍVEL TEVE NA COMUNIDADE DA AMORA
  • O QUE PENSAMOS E O QUE VEMOS NESTE PROJECTO.

Em 1º lugar obrigada pela vossa presença.

1-Espero não vos maçar muito, mas penso que gostem de saber como nasceu a CESVIVER. Bem, eu só posso falar do passado, porque o presente não acompanho e sei que deve estar diferente, sei que os projectos são dinâmicos e vão sofrendo alterações de modo a acompanhar as mudanças.

A Casa do Educador TINHA QUE CRESCER COMO INSTITUIÇÃO, essa era a nossa aposta.

As pessoas queixavam-se que os idosos da Amora estavam cada vez mais dependentes e viviam muito sós. Havia gente a quem a junta ou o merceeiro abria a porta de manhã e ia fechar à noite e a nossa associação como IPSS necessitava de uma componente social e nós sentíamos necessidade de maior formação no que diz respeito a comportamentos dos seniores. A parte cultural e humana já existia e assim, em dezembro de 2006, o nosso Plano de Atividades contempla a componente social de apoio social a idosos.

2 - Depois disto, há que meter as mãos à obra e levámos um ano com contactos com associações do género, em especial o “Coração Amarelo”, que se desenvolve em Lisboa com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa. Escreve-se o regulamento, organizam-se os dossier e todos os impressos para as burocracias, cria-se o logótipo com a ajuda dum profissional a quem agradecemos, pois criou os 3 Logótipos CES, CESVIVER e UNISSEIXAL sem nos pedir qualquer remuneração e na altura era um profissional já com alguns prémios. Em janeiro de 2008, faz-se o 1º curso de Apoio a Seniores realizado pelo Coração Amarelo e pago pela Casa do Educador do Seixal e frequentado por 20 voluntários. A partir daí, a CES passou ela própria a organizar os cursos abordando os mesmos temas e convidando técnicos, como Assistentes Sociais, psicólogos, enfermeiros e voluntários com provas dadas. Organiza-se a parte burocrática e as finanças.

Quero explicar aqui aos sócios que qualquer projecto bem organizado tem de se pagar a si próprio e este não foi excepção; nós criámos a figura do Aderente com uma quota de 10€ anuais, dinheiro que serve para pagar as despesas deste projecto e também digo que o curso do Coração Amarelo foi pago mais tarde pela CESVIVER.

A direcção da CESVIVER toma posse a 19 de junho de 2008 e estamos prontos a abrir portas ao público. Iniciámos o nosso protejo com os encontros das terças-feiras para pessoas que conseguiam deslocar-se à Casa do Educador e visitas a casa para alguns com mais dificuldades. Começámos com 13 voluntários ao domicílio e 4 no serviço dos lanches. As visitas a casa faziam-se por norma sempre com 2 pessoas, para segurança dos visitados e protecção dos voluntários. O projecto foi sempre acompanhado por uma Assistente Social, a Drª Maria Otília Germano, infelizmente já falecida, a quem presto a minha homenagem e um Assistente Jurídico, o Dr. Luís Torres, por quem ficámos muito gratos.

Também vos quero dizer: não foi tudo um mar de rosas, como por exemplo, colaborar com a biblioteca Municipal do Seixal na entrega e leitura de livros ao domicílio; foi um projeto que abortou e não ficámos a saber porquê, seguiram outros e está tudo certo.

3 - A comunidade recebeu-nos muito bem e, apesar do percurso de altos e baixos, resistiu e parece que está de boa saúde. Parabéns a todos que continuam a dar o seu tempo em prol desta causa.

Ser voluntário representa muito altruísmo da parte de quem o pratica, pois, embora nos dê muitas alegrias, também é na maioria das vezes praticado com muitos sacrifícios e abdicando de muita coisa que colide com a vida pessoal de cada um. Muito, muito obrigada por terem continuado um trabalho tão bonito e que tanto amei e amo.

4 - Amigos, este é um projecto social que merece ser acarinhado e desenvolvido. Colegas, vamos em frente pelos habitantes da Amora, pelos colegas que estão a envelhecer, que precisam de companhia e pelos voluntários que ao praticar este trabalho se sentem úteis e realizados. Sei que pensamos numa casa de repouso, mas a minha experiência diz-me que o acompanhamento em casa é primordial, poucas pessoas gostam de deixar os seus lares. Mesmo as Residências melhores e mais caras revestem-se de muita solidão e demasiada formalidade para que os laços afectivos se fortaleçam. Precisamos de amor e cuidados em casa no nosso fim de vida. Vamos esquecer o grupo “professores”, falemos de pessoas, aqueles seres que caminham connosco e fazem parte intrínseca de nós.

Este foi um projeto que acarinhámos desde o primeiro momento pela necessidade de nos aproximarmos do tema “idosos”, pois era esse caminho que estávamos a iniciar. Entendemos sempre que não se caminha para lado algum sem formação. Se estivermos embrenhados no tema, mais facilmente adquirimos conhecimentos tão necessários ao desenvolvimento do projecto que resolvemos abraçar e que temos em mãos. Quando nos entregamos aos outros sempre encontramos o nosso propósito e não há objetivos pessoais, mesmo já definidos, que nos impeçam de caminhar. Sei que quem aqui trabalha fá-lo por amor.

Sim, por mais independentes que queiramos ser, fazemos parte de um todo. Há uma dependência dos outros e os outros dependem de nós. Esta unidade está intrínseca no ser humano com uma força tal que não conseguimos ser felizes sozinhos, daí as associações se manterem por longos anos.

As razões de escolha deste ou daquele grupo depende da identificação que temos com as pessoas que os dirigem. Tal como se escolhe uma profissão, também se escolhe o grupo de voluntariado ou outro. Se não for assim, há tendência a desistir facilmente e o crescimento é lento. Não nos incomode que alguns desistam, há sempre quem desiste, mas é com os que ficam que as associações crescem.

Ainda quero dizer e é interessante: como sabem, as cores afetam-nos psicologicamente e quem desenhou o logótipo com a escolha das cores faz um elogio aos professores. Escolheu o rosa, a cor do amor incondicional e do carinho e o dourado, a cor da sabedoria que o nosso designer, dr. Sérgio Silva, ligou aos professores, e na altura classificou como classe culta e de entrega ao próximo. Estamos realmente num meio privilegiado para desenvolver qualquer projeto. Mãos à obra, colegas de fibra, porque há sempre quem ajude.

Não quero terminar sem agradecer a todos os que colaboraram comigo ao longo dos 3 anos que estive na Cesviver. Sem eles, o projecto ficava na gaveta.

Muitos PARABÉNS À CESVIVER, AOS SEUS DIRIGENTES E A TODOS OS VOLUNTÁRIOS.

Antes de terminar, quero ler-vos um excerto do livro “Elogio da Sede” de José Tolentino Mendonça:

“É fundamental não esquecermos que o coração humano, o nosso próprio coração, é frágil e vulnerável. Quando nos sentimos amados como uma pessoa única, sustentados por uma rede de afeto e acompanhamento, quando nos sentimos a realizar um trabalho que nos interessa, nos envolve e apaixona, mesmo com todas as dificuldades reagimos com vigor, há uma alegria que não nos deixa, pois temos a certeza de existir.”

Não vos maço mais. Desejo-vos um resto de uma boa tarde, obrigada pela paciência de me ouvirem.

Antonieta Henriques

Amora, 15 de Junho de 2018

Festa do X Aniversário da CESViver

Festa do X Aniversário da CESViver