Poema-Dia do Pai

Poema-Dia do Pai

Celebrar o “Dia do Pai”

A Profª Maria de Lourdes Mano orientou mais uma sessão no âmbito do projeto “Um Livro, Uma Companhia”.

Trouxe como tema Celebrar o “Dia do Pai” homenageando o “Poeta Maior” moçambicano José Craveirinha, Prémio Camões 1991. Iniciou a sessão pedindo que observassem um guardanapo de papel, que retratava África, para que se situassem onde iria decorrer a ação. Fez a leitura de um excerto da autobiografia do autor na qual o poeta alude os seus “vários nascimentos”; referiu a sua bibliografia; referenciou a Fundação com o seu nome; procedeu à leitura de vários poemas, com a participação da assistência, incluindo um dedicado ao seu pai; apresentou imagens de algumas obras plásticas de pintores moçambicanos que ilustraram os poemas que seleccionou. Ofertou um marcador alusivo à sessão.
O aderente e voluntário Sr. Alberto Ferreira partilhou o seu conhecimento e convivência com este poeta e artistas plásticos na altura em que vivera em Moçambique. Ainda leu o texto intitulado “Mensagem para um ex-algarvio – Meu Pai”.
Para terminar a Sra. D. Almerinda apresentou uma imagem de São José e da relação desta com o Dia de hoje e com a igreja.
Parabéns querida amiga pelo modo como nos transportou para o mundo das artes bem como a vida de um país tão distante. Bem-haja!

Ao Meu Belo Pai Ex-Emigrante

Pai:
As maternas palavras de signos
vivem e revivem no meu sangue
e pacientes esperam ainda a época de colheita
enquanto soltas já são as tuas sentimentais
sementes de emigrante português
espezinhadas no passo de marcha
das patrulhas de sovacos suando
as coronhas de pesadelo.

E na minha rude e grata
sinceridade não esqueço
meu antigo português puro
que me geraste no ventre de uma tombasana
eu mais um novo moçambicano
semi-claro para não ser igual a um branco qualquer
e semi-negro para jamais renegar
um glóbulo que seja dos Zambezes do meu sangue…

José Craveirinha


Leave a Reply