Arquivos de categoria: Cesviver

Abertura Solene do ano letivo 2021-2022

Categoria :Abertura Solene

PROJETO CESVIVER

No dia 28 de setembro, pelas 15h00, teve lugar a sessão formal de abertura dos encontros do CESVIVER, projeto da Casa do Educador do Concelho do Seixal (CES), referentes ao ano letivo 2021/2022.

Este acto realizou-se no salão – Galeria - do edifício da CES, onde semanalmente se realizam as atividades deste projeto.

Contámos com a presença dos nossos convidados, que muito nos honraram, a Senhora Vereadora da Divisão de Desenvolvimento Social e Cidadania da Câmara Municipal do Seixal, Dra. Manuela Calado; o Senhor Presidente da Junta de Freguesia da Amora, Dr. Manuel Araújo; o Senhor Presidente da Direção da CES, Dr. Jaime Ribeiro.

Também estiveram presentes amigas aderentes do CESVIVER e, como este projeto só se justifica pelas utentes que semanalmente nos procuram, uma palavras muito especial para essas senhoras que elas próprias fizeram a festa. Bem-haja!

A diretora executiva do CESVIVER fez a abertura da sessão, cumprimentando e agradecendo aos presentes dirigindo-se de seguida aos convidados para que tomassem da palavra.

A Senhora Vereadora da Câmara Municipal do Seixal, Dra. Manuela Calado, agradeceu o convite e referiu o seu carinho e apreço pelo trabalho desenvolvido pela CES e pelos seus dois projetos. Quanto ao CESVIVER falou da sua utilidade para as pessoas que o procuram e incentivou a continuação do mesmo. Para terminar fez saber que estava a terminar o tempo em que esteve ligada à CES e aos seus projetos e despediu-se emocionada.

Tomou da palavra o Senhor Presidente da Junta de Freguesia da Amora Dr. Manuel Araújo também se congratulou por estar nesta sessão e reconheceu o trabalho e o papel benéfico que a CES tem junto da comunidade. Terminou dizendo que a Junta de Freguesia de Amora estaria sempre recetível para o que fosse necessário.

Foi a vez do Senhor Presidente da CES dirigir algumas palavras. Depois de cumprimentar e agradecer a presença de todos fez uma curta resenha sobre a vida da CES, UNISSEIXAL e CESVIVER. Despediu-se, desejando um bom ano de trabalho.

Dando continuidade ao programa, foi comunicado que, depois de vários pedidos das utentes, formou-se o grupo musical que se iria apresentar ao nosso público cantando, pela primeira vez a canção “Ode à CESVIVER” cujo poema foi o resultado da recolha de frases da autoria  das utentes. Este mini projeto concretizou-se graças à generosa disponibilidade da Professora Inocência Bolas que é responsável pela orientação e ensaios.

Ouviu-se a leitura de um poema dedicado a este projeto, da autoria da utente Senhora D. Rosa Maria Martins.

Voltou-se ao momento musical com  mais três canções do reportório tradicional português, pelo grupo acima referido. Desta vez foi utilizado movimento, gravuras e acompanhamentos sonoros.

Para terminar este alinhamento, foi feita a leitura de um poema de Sophia de Mello Breyner Andresen pela aderente professora Olga Valido.

A sessão foi encerrada com a oferta de uma pequena lembrança executada por um grupo de aderentes.

Rosa Maria Duarte

Momentos de boas vindas à CESVIVER

Poemas


Primeiro Encontro 2021-2022

Categoria :Cesviver

Recordando o tempo de férias

Os tão desejados encontros dos utentes/aderentes, do projeto CESVIVER da Casa do Educador do Concelho do Seixal, tiveram o seu começo no dia 21/09/2021.

Continuaremos a divulgar as nossas atividades através deste site, pelo nosso email ou pela secretaria da CES.

Iniciámos o ano letivo 2021/2022 do seguinte modo:

Da parte da manhã o professor António Santos orientou as suas alunas na aula de Chi Terapia.

O grupo continua com 4 alunas até ser possível alargar às restantes aderentes que estejam interessadas.

No horário da tarde, no âmbito das “Tardes de Terça-Feira”, deu-se cumprimentos ao Plano traçado:

- Recordar acontecimentos do tempo de férias - a professora Antonina Marques fez a receção e deu as boas-vindas às senhoras utentes, assim designadas por serem aderentes, mas que participam presencial e anualmente nos referidos “encontros”. Em seguida contaram individualmente como passaram o período de férias nesta época de pandemia.

- Entoar canções tradicionais – Apresentação e aprendizagem de mais duas canções do cancioneiro popular português.  Ensaio de algumas para a animação no dia da abertura solene das atividades do CESVIVER, a cargo da professora Inocência Bolas.

- Felicitar os aniversariantes dos meses anteriores.

Felicito quem esteve presente nesta sessão: as professoras e o professor que orientaram atividades, as voluntárias e o voluntário que ajudaram em tudo o que foi necessário e em especial às senhoras utentes que puderam estar presentes.

Recordo que este projeto é para quem nos procura, precise ou goste de conversar/conviver, aprender/partilhar ou estar informado sobre o passado e o presente.

A Dir. Executiva,

Rosa Maria Duarte

1º Encontro da CESVIVER 2021


Comunicação da CESVIVER

Categoria :Informação

Caras e Caros Aderentes

Aproxima-se o início do ano letivo 2021/2022, que será a 21 de setembro de 2021.

Retomaremos os encontros de terça-feira no âmbito do projeto, da Casa do Educador do Concelho do Seixal, CESVIVER que incluirão:

Chi Terapia – no horário da manhã, pelo professor António Santos;

- As intituladas “Tardes de Terça-Feira” – no horário da tarde com diversas atividades de cariz cultural, informativo ou social programadas e divulgadas mensalmente com a presença de orientadores convidados para o efeito;

-  As “Conversas com o Psicólogo” – pelo Doutor Vitor Vitorino, que necessita de marcação, na secretaria da CES ou pelo telefone junto da D. Cármen.

Em virtude de ainda estarmos a viver segundo as regras da DGS, não é possível alargar as nossas atividades a todos os aderentes que nos procuram que como devem calcular é esse o nosso maior desejo.

Pedimos a vossa compreensão e paciência para se for o caso de nos procurarem e de não conseguirmos responder afirmativamente ao seu desejo/pedido, isso será devido ao facto de não se poder exceder o limite de pessoas que a sala pode comportar.

Esperamos que seja rápido o alargamento a maior número de participantes.

Continuaremos com a higienização das mãos e o uso da máscara.

A Comissão Executiva do CESVIVER deseja a todas e a todos um bom ano.

A Diretora Executiva,

Rosa Maria Duarte

     17/09/2021




Cesviver-Reabertura das atividades

Categoria :Informação

Informa-se que, irão reabrir as atividades do Projeto CESVIVER-CES referentes ao ano letivo 2020/2021, no próximo dia 04/05/2021, somente à terça-feira.

- Chi Terapia – das 10h00 às 11h00

- Tardes de terças-feiras – das 14h30m às 16h30m

De acordo com as regras já existentes continuaremos a permitir a presença de quem está inscrito e confirmado desde o início do ano 2021.

Para os demais (que não estejam incluídos) pede-se que contactem a secretaria da CES antes de se deslocarem a fim de evitar constrangimentos.

Mais se informa que as atividades poderão sofrer alterações, caso o motivo o justifique.

Atenciosamente,

Rosa Maria Duarte

(Diretora Executiva da CESVIVER)


Contos do passado e do presente

Categoria :Historia

Sendo hoje terça-feira, se não estivéssemos a atravessar uma situação pandémica e com restrições de deslocação, estaríamos no nosso encontro semanal, nas intituladas “tardes de terça-feira” para conversarmos e partilharmos o que de melhor temos ou sabemos.

Hoje, dia 19 de janeiro de 2021, resolvi comunicar convosco tendo como tema principal alguns dos acontecimentos mais relevantes que aconteceram nesta data, desde os anos mais longínquos. Este trabalho teve como base uma recolha feita por mim no google. Espero que sirva para ocupar um pouco do vosso tempo.

Começando por nos situar no tempo e espaço:

19 de janeiro do ano 2021 pertence à década 2020; ao século XXI; ao 3º milénio; é o 19.º dia do ano no calendário gregoriano. Faltam 346 para acabar o ano.

O calendário gregoriano é um calendário de origem europeia, utilizado oficialmente pela maioria dos países. Foi promulgado pelo Papa Gregório XIII (1502–1585) em 1582 em substituição do calendário juliano implantado por Júlio César (100–44 a.C.). Em Portugal entrou em vigor na data determinada pela Santa Sé em virtude de uma lei de Filipe I de Portugal, assinada em Lisboa, a 20 de setembro, e escrita em português de acordo com as garantias aprovadas nas Cortes de Tomar de 1581.

Ler mais informação


Comunicado

Categoria :Informação

Devido à situação atual em relação ao Coronavírus, entendeu a Comissão Executiva da CESVIVER encerrar as Atividades Semanais a partir do dia 15 de janeiro de 2021, até que a situação epidemiológica o permita, tendo por base as ordens emanadas pelo Governo Português.

O nosso retorno será mais célere se cada um cumprir com as regras emanadas pela DGS, mesmo que para isso tenha de dispensar de algum hábito de seu agrado.

A data de recomeço será informada atempadamente.

Gratos pela compreensão

A Diretora Executiva

Rosa Maria Duarte


Abertura do Ano Letivo 2020-2021

Categoria :Cesviver

Oficialmente a abertura das atividades do projeto CESVIVER do ano letivo 2020/2021, teve lugar na quinta-feira, dia 29 de outubro, numa cerimónia muito reservada.

Estiveram presentes, como nossos convidados: pela Câmara Municipal do Seixal, a Vereadora do Pelouro da Cultura, Participação, Habitação, Juventude e Desenvolvimento Social, Sr.ª Dr.ª Manuela Calado; pela Junta de Freguesia da Amora, o Presidente Sr. Manuel Araújo; a Professora Maria de Lourdes Mano, orientadora de sessões no âmbito da literatura e arte. Ainda estiveram na sessão, representantes das utentes/aderentes, membros da Comissão Executiva da CESVIVER e voluntárias.

Após ter cumprimentado e agradecido a presença de todos, foi dada a palavra à Professora Inocência Bolas que depois de cumprimentar os presentes e fazer alusão aos 18 anos da CES, ocorridos no dia anterior, justificou a ausência do Presidente Professor Jaime Ribeiro. A professora Inocência Bolas assinalou ainda a continuidade do projeto CESVIVER. Referiu-se às condições a que estamos sujeitos e ressalvou que tudo se fará para que quem vier à CES, cumprindo as regras impostas pela D.G.S., se sinta seguro apesar da consciência dos riscos. Salientou ainda que estas atividades têm como finalidade colmatar o isolamento e proporcionar a interação através de momentos de cultura e diversão.

Foi dada a palavra aos representantes das autarquias, Sr. Presidente da Junta de Freguesia da Amora e Sr.ª Vereadora da C.M.S. que agradeceram o convite, mencionaram a situação de pandemia que atravessamos e disponibilizaram o seu apoio a este projeto.

Foi com muito agrado que se ouviu a Sr.ª Vereadora Dr.ª Manuela Calado dizer que se sentia muito bem naquele espaço, que nele havia uma boa energia fazendo-a querer regressar sempre que fosse convidada, pois sentia estima pelo projeto CESVIVER. Foram feitos votos de muitas felicidades à CESVIVER e a todos os presentes.

A professora Maria de Lourdes Mano, convidada pela Diretora Executiva da CESVIVER como representante dos orientadores/dinamizadores de atividades ao longo do ano letivo 2019/2020 e do primeiro período de 2020/2021.

Toda a sua apresentação poderá ser lida, na íntegra, no fim deste artigo.

Para finalizar o programa ouvimos a leitura do poema “Rosa de Outono” de Nuno Júdice, pela Sr.ª D. Isabel Franganito.

Em modo de jogral, as Sras. D. Céu Machados, D. Filomena Miguel e D. Palmira Raposo leram quadras e tercetos que passo a transcrever:

Abertura 2020-21Antes de darmos por encerrada a sessão, foi distribuído, como recordação deste dia, um marcador de livro.

Ainda se ouviu a Sr.ª Vereadora Dr.ª Manuela Calado enalteceu o trabalho apresentado pela professora Maria de Lourdes Mano, desejou-lhe as maiores felicidades e agradeceu. Também dirigiu o seu agradecimento às senhoras que fizeram apresentações poéticas.

Estávamos já de saída quando o Presidente da CES, professor Jaime Ribeiro, apareceu para cumprimentar a assistência e explicar o motivo da sua ausência – obras das futuras instalações da Unisseixal.

Em meu nome e em nome dos membros da CESVIVER agradeço a presença e a participação dos convidados e de todos os presentes. Muito obrigada Sr. João Correia, pela sua colaboração como fotógrafo ao longo destes anos.

Rosa Maria Duarte

 

Apresentação da Professora Lourdes Mano

Ex.mos Senhores,

Dignos representantes da Casa do Educador, da Cesviver e Unisseixal, da Câmara Municipal, Junta de Freguesia, outras Entidades e todos os restantes amigos aqui presentes nesta cerimónia restrita, mas bem representativa das entidades com as quais a CESVIVER contacta. Num primeiro apontamento, felicito a Casa do Educador do Seixal pela celebração dos 18 anos de excelente trabalho em prol de todos nós e da Comunidade.

Por solicitação da Sr.ª. Directora Executiva da CESVIVER, Profª. Rosa Maria Duarte, encontro-me nesta cerimónia como representante de todos os colegas e amigos que no decurso do ano lectivo 2019/2020 orientaram as múltiplas temáticas das sessões semanais deste importante projecto de solidariedade da Casa do Educador.

Todos nós estamos muito gratos à Profª. Rosa Duarte por se lembrar das nossas pessoas propiciando-nos, a par de um fraterno, salutar e profícuo convívio semanal, a enorme alegria e prazer de colaborarmos como voluntários, usufruindo também desta Família que é a CESVIVER. Querida amiga Profª. Rosa Duarte, em nome de todos os colaboradores expresso a nossa gratidão e um grande bem-haja por tudo, incluindo o facto de nos conceder sempre inteira liberdade nos conteúdos programáticos que sugerimos ao prepararmos o ano lectivo.

De igual modo, e uma vez que me foi solicitado também que falasse de «Um Livro, Uma Companhia», aproveito este momento para lhe agradecer publicamente por me conceder a oportunidade de orientar atividades, quer no âmbito das Artes Plásticas onde,  a par do que se passa internacionalmente, realçar sempre a Arte e os Artistas Portugueses, quer no âmbito da Literatura, dinamizando as sessões de «Um Livro, Uma Companhia», contrato-programa apoiado pelo Pelouro da Cultura, Participação, Habitação, Juventude e Desenvolvimento Social da Câmara do Seixal, “projecto” este que considero bem enriquecedor, estimulante e conducente a diversos aspectos fundamentais para a continuidade do desenvolvimento de capacidades nas várias dimensões, sem esquecer o equilíbrio bio-psico-social de todos nós, idosos.

Ao falarmos da Leitura e da sua validade, todos conhecemos os inúmeros benefícios e competências que esta actividade intelectual e, simultaneamente lúdica, propicia nas diversas fases do crescimento. Estamos conscientes dos resultados de muitos estudos efectuados, também na área da Gerontologia e, mais especificamente na Gerontologia Social, que enunciam o alto valor da leitura na nossa faixa etária.

Incentivar que nós, os idosos, continuemos a manter o bom hábito de ler, é estimular o cérebro, é saber cuidar do nosso lado emocional, consequentemente, saber expressar melhor sentimentos e emoções; é desenvolver a imaginação, o raciocínio; é conseguir ocupar a mente, mantendo-a activa, viva; é sentirmo-nos mais acompanhados, logo, menos sós; é elevar a nossa auto-estima; é atenuar os efeitos do envelhecimento e ajudar na prevenção de doenças neurológicas degenerativas da mente e do corpo.

Está provado cientificamente que, além de todos os benefícios que referi, o acto de LER diariamente é um exercício mental importante para que, independentemente da idade já um pouco avançada, é possível ainda o nascer de novos neurónios.

Então, os livros são muito mais do que páginas com meros caracteres e palavras. São portas e janelas enormes, abertas, por onde entra uma grande lufada de conhecimento, diversão, prazer, sonho e o reavivar de memórias se torna tão significativo, tão importante para nós.

Enquanto dinamizadora deste magnífico “projecto” «Um Livro, Uma companhia», foi preocupação minha também, celebrar a Poesia e conceder-lhe um lugar especial, já que os textos são de leitura fácil, não muito extensos, por isso mesmo, facilitadores do nível de atenção e concentração. A Poesia permite a construção de símbolos e metáforas onde o ritmo, o som, a harmonia da palavra está presente, e as emoções são tratadas de modo especial… Um livro de poesia é para ser lido com calma, saboreando cada verso, tentando relacioná-lo com as vivências pessoais e, voltando a reler depois de um tempo.

Cito o poeta e dramaturgo espanhol do séc. XVI, Lope de Vega:

«A poesia é a pintura dos ouvidos, assim como a pintura é a poesia dos olhos».

José Saramago, o nosso Nobel da Literatura deixa-nos esta reflexão:

«Eu pergunto o que seria de todos nós se não viesse a poesia ajudar-nos a compreender quão pouca claridade têm as coisas a que chamamos claras.»

O grande poeta argentino Juan Gelman, Prémio Cervantes 2007, diz:

- «Aí está a poesia. De pé contra a morte, porque a poesia salva.» Também é dele a seguinte frase: «A memória é o sustentáculo de toda a Arte».

O filósofo e pedagogo suíço Jacques de Coulon, cuja presença em Lisboa ainda está na nossa memória, autor de livros como, «Sejamos Poetas da Nossa Vida» e «Exercícios Práticos de Poesia-Terapia», Jacques de Coulon afirma que a magia das palavras tem um efeito terapêutico e são um veículo prodigioso para nos conhecermos melhor.

Voltando ao “projecto” «Um Livro, Uma Companhia», o ano lectivo de 2019-2020 foi particularmente especial porque nos concedeu a feliz oportunidade de celebrarmos e recordarmos, aqui na CESVIVER, grandes vultos da Literatura Portuguesa que nasceram há 100 anos.

Foi este um dos principais motivos porque não orientei as sessões de «Um Livro, Uma Companhia» com um único autor e uma única obra literária, ao longo de um ano lectivo.

Assim, celebrámos o centenário do nascimento dos magníficos:

-  Fernando Namora – em prosa, mas também em poesia. (Como nos divertimos com a leitura do conto «Dois Ovos ao Fim da Tarde» cuja história é uma homenagem do escritor ao seu grande amigo Luís Dourdil e que nos levou a conhecer um pouco melhor este grande artista plástico.)

Seguiu-se a excelência de Jorge de Sena e Sophia de Mello Breyner Andresen celebrados também através da Poesia.

Não poderíamos esquecer outra data importante e o grande neo--realista Alves Redol e o romance «GAIBÉUS».

Muito recordámos e aprendemos na Visita de Estudo ao Museu do Neo-Realismo, visitando as exposições «E não sei se o Mundo nasceu» - em homenagem a Fernando Namora e,

«Raízes de uma colecção: Alves Redol e (seus) ilustradores» - visando celebrar os 80 anos da publicação do romance «Gaibéus» e recordar os 50 anos da morte deste grande escritor e Homem do Teatro.

Nem podíamos esquecer também o magnífico e tão premiado Nuno Júdice e a sua brilhante poesia, assim como, a magistral Maria Teresa Horta, uma das mais conceituadas poetas da Moderna Poesia Portuguesa e o livro histórico «Novas Cartas Portuguesas» que, como estão recordados, marcou a nossa geração.

Recordo que, mal este livro chega às livrarias, em 1972 - e porque Natália Correia foi a única que teve a enorme coragem de o editar - foi retirado pela PIDE e levantado um processo às três escritoras - Mª. Isabel Barreno, Mª. Teresa Horta e Mª. de Fátima Velho da Costa - processo por pornografia, obscenidade e atentado à moral pública. Foi há 48 anos!

Curiosamente, as «Novas Cartas Portuguesas» tornou-se na obra literária mais aclamada e conhecida internacionalmente como o «livro das três Marias» por quem, ainda em 1972, as escritoras Simone de Beauvoir, Margarite Yourcenar e Christiane  de Rocheford, muitos outros escritores, artistas, e muitas outras feministas, tanto em França como até nos Estados Unidos, se “bateram” junto das embaixadas de Portugal, organizando manifestações e empunhando grandes cartazes, insurgindo-se contra a ditadura, repressão e censura em Portugal.

E o governo de Marcelo Caetano tremeu com tal escândalo…

Felizmente que tudo terminou com o 25 de Abril.

A título de curiosidade refiro que as «Novas Cartas Portuguesas» foi a obra literária seleccionada, no passado dia 29/Junho, para representar Portugal na bibliografia recomendada, como leitura das férias de Verão, pelo projecto «Leitores da Europa» em cooperação com a Biblioteca do Conselho da União Europeia.

Voltando à programação da CESVIVER no âmbito de «Um Livro, Uma Companhia»: já na próxima semana recordaremos José Saramago e os dez anos da sua ausência física mas sempre presente em nós, até porque o magnífico «Memorial do Convento» é  o ponto de referência para a Visita de Estudo programada  a Mafra mas, devido à situação grave e delicada que o País e o mundo estão a viver,  esta visita far-se-á numa melhor oportunidade.

Em todas as sessões de «Um Livro, Uma Companhia», houve a preocupação que os participantes lessem. No decurso das sessões, eram oferecidas folhas A4 com textos em prosa ou em verso, textos cuidadosamente ilustrados com obras plásticas de artistas portugueses.

Este magnífico “projecto”, propiciou-nos também a criação de uma pequena Biblioteca da CESVIVER, constituída por vários dossiers e livros, quer com textos em prosa, quer com poesia, de acordo com os vários escritores e poetas dinamizados, tanto no ano lectivo de 2018/2019, como em 2019/2020.

É já um bom conjunto de obras criteriosas, com temas diversificados para todas as sensibilidades e estéticas, sempre ao dispor de quem deseje usufruir do enorme prazer de LER.

Antes de terminar, não posso deixar de expressar uma palavra de profunda admiração, respeito e amizade, à nossa querida amiga e Directora Executiva da CESVIVER, Profª. Rosa Maria Duarte, pela sua enorme coragem,  determinação e ânimo, bem patentes ao retomar as actividades semanais aqui, na CESVIVER, propiciando a todos nós, idosos, um espaço de aprendizagem, convívio salutar, mitigando as grandes saudades que todos sentíamos de todos, dos convívios fraternais, da amizade, dos afectos, os quais nos dão segurança e ajudam a atenuar e a serenar  os nossos corações perante estes tempos difíceis, gravosos e incertos que o mundo vive.

Cardeal MendonçaCito o nosso Cardeal e poeta e teólogo e, agora arquivista na Biblioteca e Arquivo Apostólicos do Vaticano, uma das vozes mais originais da Literatura Portuguesa Contemporânea, D. José Tolentino de Mendonça, cuja mensagem se adequa perfeitamente a este belo projecto de solidariedade que é a CESVIVER:

- «Nós adoecemos da ausência de amigos. O olhar de um amigo é uma âncora. A ela nos seguramos em estações diferentes da Vida para receber esse bem inestimável de que temos absoluta necessidade e que, verdadeiramente só a amizade nos pode dar: a certeza de que somos acompanhados e reconhecidos. Sem isso a Vida é uma baça surdina destinada ao esquecimento. É de vida partilhada que as nossas vidas se alimentam.»

Querida amiga Profª. Rosa Duarte, muitos parabéns e o nosso profundo bem-haja pelo seu coração generoso, pela sua força, coragem, determinação e ânimo em retomar estes excelentes e tão necessários encontros semanais da CESVIVER.

Para todos vós, queridos amigos aqui presentes nesta cerimónia, o meu agradecimento pela vossa enorme atenção e disponibilidade em ouvir-me.

Votos de boa saúde e dias felizes para todos.

Lourdes Mano – 29 Out. 2020   


Outono-destaque

O Outono e a Vida

Categoria :Historia

O tema escolhido para a tarde de terça-feira, 27 de novembro, estava enquadrado na estação do ano atual e pretendeu-se que houvesse uma ligação à vida: natureza, ambiente, idade, saúde…

Cardeal MendonçaA orientadora, profª. Rosa Duarte, iniciou a sessão falando de um acontecimento cultural: a atribuição do Prémio Europeu Helena Vaz da Silva atribuído ao Cardeal José Tolentino Mendonça, no dia 23 de outubro no Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian.  Citou a declaração dos membros do júri: “impressionados pela capacidade que Tolentino Mendonça demonstra ao divulgar a Beleza e a Poesia como parte do património cultural intangível da Europa e do mundo”.

HalloweenUtilizando o diálogo e a partilha de saberes explorou-se o tema. Referiram-se às transformações da natureza e do ambiente que nos rodeia; aos trabalhos agrícolas e seus cuidados e comparações entre o atual e antigo; às festas religiosas e pagãs que se realizarão, em breve, seus usos e costumes: Halloween ou Dia das Bruxas Conheça a verdadeira historia do Halloween – Sua origem, e o modo de festejarem.

Dia de todos os Santos – Festa religiosa cristã e suas vivências. Foi referida uma tradição que se realiza no nosso país e que tem-se vindo a perder: “O Pão por Deus”, recordou-se como, onde era mais festejado e os seus cânticos.

Dia dos fiéis defuntos ou Dias dos mortos – As tradições que devido à pandemia não poderão ser executadas por algumas das senhoras presentes.

Passou-se à leitura e breve análise de alguns poemas, entre eles este de Manuel Bandeira:

Crepúsculo de Outono

 I

O crepúsculo cai, manso como uma benção.

Dir-se-á que o rio chora a prisão de seu leito...

As grandes mãos da sombra evangélicas pensam

As feridas que a vida abriu em cada peito.

II

O outono amarelece e despoja os lariços.

Um corvo passa e grasna, e deixa esparso no ar

O terror augural de encantos e feitiços.

As flores morrem. Toda a relva entra a murchar.

III

Os pinheiros, porém, viçam, e serão breve

Todo o verde que a vista espairecendo vejas,

Mais negros sobre a alvura unânime da neve,

Altos e espirituais como flechas de igrejas.

IV

Um sino plange. A sua voz ritma o murmúrio

Do rio, e isso parece a voz da solidão.

E essa voz enche o vale...o horizonte purpúreo...

Consoladora como um divino perdão.

V

O sol fundiu a neve. A folhagem vermelha

Reponta. Apenas há, nos barrancos retortos,

Flocos, que a luz do poente extática semelha

A um rebanho infeliz de cordeirinhos mortos.

VI

A sombra casa os sons numa grave harmonia.

E tamanha esperança e uma tão grande paz

Avultam do clarão que cinge a serrania,

Como se houvesse aurora e o mar cantando atrás.

(A cinza das horas, 1917)

Terminou-se o dia a visionar o vídeo que se relaciona com o COVID 19

Rosa Maria Duarte

Covid 19